Google+ Followers

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

A QUEDA DE ROSWELL

BALÃO OU NAVE ALIENÍGENA, O QUE QUER QUE TENHA CAÍDO NA CIDADE DO NOVO MÉXICO MARCOU PARA SEMPRE A VIDA DOS CIDADÃOS DO LOCAL E DOS UFÓLOGOS DO MUNDO TODO.

             A história do suposto disco voador que caiu em Rosswell, no Novo México, é bem conhecida mesmo por aqueles que nunca se interessaram por ovnis: em julho de 1947, algo caiu dos céus e se espatifou dentro de uma propriedade rural. O fazendeiro encontrou os restos no dia seguinte e os levou às autoridades que, por sua vez, comunicaram aos seus superiores no exército norte-americano, que foram ao local e levaram não apenas os restos da nave, como também os tripulantes.
            De lá para cá, muita especulação aconteceu e as teorias de conspiração apareceram. como em outros casos, há de tudo: de testemunhas elusivas (como a enfermeira que supostamente assistiu à necropsia de um ET e nunca foi devidamente identificada), a testemunhos conflitantes (como o do major da Força Aérea, Jesse Marcel, que teimou até o fim que os restos encontrados não eram de um balão meteorológico, como foi alegado na versão oficial). A partir de então, as suspeitas sobre as atividades que aconteciam na famosa Área 51 aumentaram e pode-se dizer que toda a paranoia que os norte-americanos nutrem contra os segredos militares teve aqui sua gênese.
             Em 2013, o incidente completou 66 anos e o interesse das pessoas não diminuiu nem um pouco. O caso pode ser considerado como o mais famoso de toda a história da ufologia, dando asas à imaginação e introduzindo na memória popular a figura dos alienígenas chamados Grey.
             Mas o que poderia haver de novo sobre uma história tão antiga? Segundo notícias publicadas na Internet, principalmente no portal Terra, em 2012, quando o incidente completou 65 anos, o caso voltou aos jornais quando um ex-agente da CIA que atuou por lá por duas décadas, chamado Chase Brandon, "revelou a existência de um arquivo oculto sobre o objeto voador não identificado supostamente encontrado na cidade americana", o ex-agente apenas teria confirmado ao site do jornal britânico Daily Mail as enigmáticas palavras "é, realmente aconteceu".
              Os conspirólogos, que acreditam que o exército encobriu seus traços desde 1947, simplesmente deliraram quando esse depoimento foi colocado à disposição do público. Um deles, do site Something Blue (http://somethgblue.hubpages.com/hub/The-Top-Ten-Conspiracy-Theories-by-Some-One-With-A-Clue) comenta que enfim esse pode ser o primeiro passo em busca da verdade. Brandon joga mais lenha na fogueira ao informar que tudo que sabe está escondido num cofre, dentro do quartel-general da CIA, na cidade de Langley. Ele confirma, na entrevista dada ao jornal:
"Foi em uma área restrita. Havia uma caixa que chamou minha tenção. Estava escrito sobre ela 'Roswell'. Eu remexi dentro dela, coloquei a caixa na prateleira e disse: 'meu Deus, realmente aconteceu'. Não era um balão meteorológico - como foi afirmado na época - era uma nave de outro planeta".

MAIS MISTÉRIO
Outra notícia, divulgada em 2012, traz mais detalhes sobre o que o ex-agente da CIA teria conseguido saber sobre os discos voadores. Brandon que serviu por 25 anos no serviço clandestino de elite da CIA como agente infiltrado, desempenhando missões secretas que envolviam terrorismo internacional, tráfico de drogas e contrabando de armas, é incisivo sobre os documentos que ele teve acesso, mas que não iria revelar exatamente o que havia dentro da caixa que, segundo ele mesmo, acabou com suas dúvidas sobre o incidente de Roswell. "Havia alguns materiais escritos e algumas fotografias, e isso é tudo que eu vou dizer sobre o conteúdo da caixa".

ENCOBERTAMENTO

        O caso chamou mais a atenção dos conspirólogos devido ao seu encobertamento e desmentindo que havia mesmo um disco voador nas mãos dos militares, do que pela possibilidade da descoberta em si. Poucos na época se preocuparem em obter mais detalhes sobre o que foi encontrado, com apenas algumas descrições sobre o material apreendido. O objetivo da maioria era endemonizar aqueles que, inicialmente, tinham admitido que o que fora apreendido era de fato uma nave extraterrestre e que, menos de 24 horas depois, desmentiram, dizendo ser um mero balão meteorológico.
        Quando tudo aconteceu, os militares comunicaram o seguinte: "Os muitos rumores sobre um disco voador se tornaram verdadeiros ontem, quando o oficial de inteligência do 509º Grupo de Bombardeios da Força Aérea americana, com base aérea em Roswell, apoderou-se de um disco". Algum tempo depois, tudo não passava de um balão meteorológico que havia caído em um rancho próximo do local. O mais surpreendente dentre todos os detalhes foi que a mídia e o público aceitaram a explicação sem fazerem nenhuma pergunta.
          A ideia de que o encobertamento fosse para esconder não apenas a posse de um disco voador por parte dos Estados Unidos, mas também para tirar a atenção do público da Área 51, foi logo disseminada pelos adeptos da conspiração. Isso porque muitas pessoas, incluindo países estrangeiros (sem contar a então União Soviética) passaram a acreditar que poderia haver alienígenas trabalhando para os Estados Unidos. Documentos anteriormente divulgados pelo ex-agente Brandon parecem confirmar suas alegações, inclusive corroborar a ideia do envolvimento com os ETs. Um memorando publicado pelo FBI indica que o departamento teria disponibilizado milhares de arquivos em um site chamado The Vault (O Cofre). Dentre esses documentos, está o memorando escrito por Guy Hottel, agente especial encarregado do escritório de Washington, em 1950. O assunto, claro, é sobre Discos Voadores e lá é revelado que um investigador da Força Aérea teria declarado que "três chamados 'discos voadores' haviam sido recuperados no Novo México". Diz Hottel no tal documento, dirigido a um investigador cuja identidade, claro, foi censurada:
"Eles (os discos voadores) foram descritos como sendo de forma circular, com aproximadamente 50 m de diâmetro. Cada um teria sido ocupado por três corpos humanos, mas de pouco mais de um metro. Os corpos estariam vestidos com panos metálicos e cada um foi enfaixado de um modo semelhante ao utilizado nas roupas usadas por pilotos de teste de velocidade".
          Verdade ou mito, você decide, a escolha é sua, mas abra seu olho para as verdadeiras informações que realmente fazem diferença em nossas vidas.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

ÁREA 51 e OS GREYS

Os segredos que ainda cercam esta misteriosa instalação do governo norte-americano fascinam, principalmente pela total falta de dados sobre o que há em seu interior.

A JULGAR PELA MAIORIA DOS CONSPIRÓLOGOS SABE FALAR SOBRE O ASSUNTO, a famigerada Área 51, localizada numa área militar restrita, próxima ao deserto de Nevada, no Novo México, deve ser um local fascinante pelos segredos que lá estão ocultos (ou melhor, que supostamente estão ocultos). Porém, o que poucos sabem é o porquê de essa base ser tão secreta ou por que as pessoas que se aproximam sem autorização correm o risco de levar um tiro, segundo uma placa que está colocada nas proximidades, que avisa que o uso de força letal "é permitido".
Associada comumente a ETs e discos voadores desde o incidente de Rosswell, em julho de 1947, a base é um terreno de cerca de 12 mil quilômetros quadrados controlado à força pelo exército norte-americano. O lugar também é conhecido como Groom Lake, Watertown, Paradise Ranch, Home Base e Dreamland. Há hoje diversos ufólogos, conspirólogos, seguidores de New Age e outras figuras desse porte que vigiam à distância o local e já deram muitas entrevistas, afirmando terem vistos muitos Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) sobrevoando o local. o físico norte-americano Bob Lazar afirmou ter trabalhado lá, onde teve acesso a vários sistemas propulsores de naves extraterrestres e visto vários alienígenas do tipo Grey vivendo e até trabalhando lado a lado com militares norte-americanos.
O que chama a atenção é o fato de que nada parece ser simples neste espaço tão confinado. Vamos ver um pouco que sabemos sobre o local. Imagens do Google Earth mostram que o terreno tem pistas de pouso, codificada como 14L/32R, que foi construída na década de 1990, e mede 3651 por 61 metros quadrados. o terreno faz divisa com o Nevada Teste Site (NTS), local de testes nucleares e fica a cerca de 64 quilômetros a sudoeste da Montanha Yucca, um depósito nuclear próximo do lago Groom. sua existência já era conhecida há décadas, mas só foi admitida em 1994. e não é a única base secreta: artigos diversos, espalhados pelos quatro cantos da Internet, dão conta de que há outras que só não foram admitidas pelo governo por questões de segurança nacional. Porém o conteúdo desta é de deixar qualquer um maluco, pois a julgar pelos relatos, vai de aviões com tecnologia desconhecida ao desenvolvimento de armas nucleares, bacteriológicas, químicas e hidrogênicas. Há pelo menos especulações sobre mais alguns tipos de armas não divulgáveis.
O fato é que, desde que foi estabelecida, ninguém pode se aproximar sem correr o risco de levar um tiro e, mesmo as pessoas que já trabalharam lá dentro, falam sobre estritos e rigorosos procedimentos para ter acesso às suas dependências. Os observadores que insistem em ver tudo à distância falam de objetos voadores que nunca, mesmo nos dias modernos, foram considerados como existentes. Um de seus próprios ex-funcionários chegou a admitir que, além dos projetos militares que usam tecnologia alienígena, há pedaços (ou em alguns casos naves inteiras) de veículos espaciais em que os engenheiros tentam fazer a engenharia reversa para descobrir como funcionam e para que servem.

OPINIÕES

Não há quem não tenha sua própria versão sobre os fatos. Por exemplo, o jornalista norte-americano Phil Patton escreveu um livro, em 2000, lançado por aqui na mesma época, chamado Dreamland, onde ele afirma que o mistério tão característico do lugar é o fruto da Guerra Fria, que aconteceu entre 1945 e 1991, entre Estados Unidos e União Soviética. No meio do seu território há a base aérea de Nellis, onde foram construídos e testados aviões supersecretos como o Aurora e o Stealth, um caça-bombardeiro que teve sua existência negada até o último minuto pelo governo. Para os conspirólogos, produtos como o Stealth não seriam possíveis sem a orientação obtida de peças alienígenas e alguns vão mais longe, afirmando que tais peças seriam na verdade os restos do disco voador caído em Rosswell.
Teoricamente, as naves espaciais, depois de resgatadas pelo governo e elas forças armadas, são levadas para a Área 51 e consertadas. Depois são entregues a pilotos que se dedicam a testá-las. Bob Lazar teria feito uma declaração há alguns anos que serviu de base para a maioria das teorias de conspiração que envolve a misteriosa base:
          "Quase todos os dias eu pegava o avião em McCarran e ia à 'Fazenda', onde trabalhava em tecnologia revolucionária".
Declarou Lazar, que trabalhou cinco meses na base, a partir de dezembro de 1988. O piloto de testes e herói de guerra John Lear, filho do então proprietário da fábrica de aviões a jato Learjet, foi um dos que colocaram os OVNIs à prova.
Segundo alguns livros sobre o assunto OVNI, Lazar teria dito que o governo pesquisava nada menos que nove discos por lá e tentava adaptar a tecnologia obtida em projetos terrestres. Ele e sua mulher, curiosamente, sofreram muitas ameaças de morte e, para evitar correr riscos, ele resolveu confirmar em público as suas afirmações. Dentre elas, descreveu um lugar chamado de S4, que ficaria próximo ao lago seco Papoose, onde as naves originais eram guardadas. Também explicou que seu trabalho era feito naquele lugar com uma equipe de 22 pessoas contratadas para estudar os sistemas de propulsão dos discos voadores.
Diz ele sobre o S4:
           "Avia arcos e delicadas cadeiras de somente 30 cm de altura no interior dos veículos espaciais. Sua unidade de propulsão era o que mais lhe intrigava: tinha o tamanho de uma bola de beisebol e irradiava um campo antigravitacional por meio de uma coluna oca, situada verticalmente no centro da nave".
Lazar teve acesso a um memorando em que havia uma quantidade impressionante de informações sobre os discos voadores:
               "Inclusive, fotografias de autópsias de pequenos seres cinzas com grandes cabeças calvas". Complementou Lazar.
Verdade ou ficção? Não há como saber, uma vez que o próprio governo dos Estados Unidos impede qualquer acesso da mídia ao local. Portanto, é de se esperar que as especulações continuem por algum tempo, a unica coisa que devemos fazer e ficarmos atentos a tudo isso, pois faz parte de nossas vidas também.




OS GREYS

O tipo de alienígena mais citado pelos ufólogos, tem cerca de 1,30 m de altura, cabeça ovalada, olhos pretos grandes e sem pálpebras e pele cinzenta. Surgiram pela primeira vez em 1961, num caso onde um casal teria sido sequestrado per eles em New Hampshire, sendo este um dos primeiros casos conhecidos de abdução alienígena.
Lazar teria dito que essa raça teria feito um pacto com o governo nos anos 1950, onde eles entregariam tecnologia em troca da permissão de realizar experimentos em humanos e animais, com o objetivo de produzir um híbrido humano-alienígena.